As diferenças entre exportação planejada e demandada

As diferenças entre exportação planejada e demandada

Fazer prospecção de mercado é um requisito básico para quem deseja internacionalizar produtos – esta atividade chamamos de exportação planejada.

Por outro lado, a exportação demandada é a busca espontânea de seus produtos por clientes localizados no exterior, com menor frequência e sem planejamento. Neste post vamos explicar a diferença entre exportação planejada e demandada e os benefícios de prospectar mercado no exterior. Afinal, você exporta ou é comprado?

Exportação planejada Porto de Itajaí: Exportação planejada

Investir na internacionalização de sua empresa requer planejamento, conhecimento de mercado e preparação. Quem já tem experiência com exportações sabe que é essencial tomar estes cuidados para conseguir realizar as operações com segurança e consolidar as vendas no exterior. Para ter sucesso em novos mercados, não basta conhecer as normas de exportação brasileiras, mas também é necessário observar as regras para a entrada de produtos em outros países, como acordos comerciais, barreiras, certificações e exigências para rótulos e embalagens, adequando suas mercadorias ao novo local. 

Antes de entrar em um país, é importante conhecer a cultura regional, a demanda pelo tipo de produto que você oferece, além da concorrência. Uma forma de se informar sobre as práticas estrangeiras é participar de missões comerciais, além de ir a feiras e eventos de negócios, a fim de se inteirar melhor sobre o mercado em prospecção e seus futuros concorrentes. Também é importante entender os preços praticados e as estratégias locais de marketing. Isso porque nem tudo o que funciona para vendas no mercado brasileiro vai ter a mesma aceitação em outros países. O governo federal disponibiliza uma ferramenta online para simular preços que pode lhe auxiliar a elaborar seu preço de exportação. 

Outra questão que merece atenção é a economia do país alvo: o mercado está aquecido ou o país está passando por uma recessão? Realize essas pesquisas, de grande importância, antes de se lançar em novos mercados. 

O cuidado com a logística na exportação também deve ser observado. Você deve considerar fatores como a modalidade de transporte, o INCOTERM a ser utilizado, se sua empresa terá uma filial no exterior e até mesmo se terá parceiros. Afinal, ter uma estrutura sólida para exportações exige todo esse planejamento. 

E quanto à exportação demandada?

Se a sua empresa apenas atende a pedidos vindos do exterior, sem necessariamente ter passado por todo esse processo de prospecção e planejamento, você pratica o que chamamos de exportação demandada. Parece mais simples exportar dessa forma, mas não é. Algumas das regras da exportação planejada são igualmente válidas neste caso, como a atenção às legislações locais para documentação, rótulos, embalagens e certificações, além do cuidado com a logística e a garantia de que a mercadoria será entregue.

Outra questão importante é: sua empresa está habilitada para vender a compradores estrangeiros que encontrem o seu produto, por exemplo, na internet? A habilitação no Radar é exigida em alguns casos e dispensada em raras exceções, portanto, verifique em qual situação você se enquadra para estar de acordo com o que a Receita Federal exige.

Independentemente da modalidade adotada pela sua empresa, exportar é sempre positivo pois traz visibilidade internacional e novas perspectivas de negócios. Com esse amadurecimento, um fator positivo para as empresas que importam e exportam é o hedge natural em suas operações.

Quer ficar por dentro de mais conteúdos sobre o assunto? Leia também nosso post sobre as diferentes modalidades de exportação e acompanhe a Interseas no Facebook e LinkedIn para saber mais e ter sucesso nos negócios internacionais! 


Publicado em 16/10/2019 | Categoria(s): Importação
Tags: , , , ,


Faça seu Comentário